quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

LEANDRO GERA COBIÇA NA SEGUNDA LIGA

Relegado para segundo plano nas escolhas do técnico Ivo Vieira, Leandro Souza é muito cobiçado na segunda liga, com vários clubes a sondarem o Aves, tendo em vista uma contratação ou cedência.



O brasileiro de 29 anos tem a reputação de goleador pelos 16 golos que apontou a época passada ao serviço do Famalicão, mas neste momento está tapado por um leque vasto e valioso de unidades ofensivas como Guedes, Barry, Theo Mendy ou Caetano, havendo que contar, a partir de agora com o extremo/avançado Erivaldo, recentemente contratado ao Libolo.

O Famalicão, desejoso de recuperar a sua antiga estrela de 2015/2016 e o Gil Vicente são pretendes declarados. O Aves aguarda pacientemente o entendimento de Leandro com algum clube, também certo que pode ver o avançado subir o seu contributo no projeto de subida.

Fonte: Jornal Record 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

TARCÍSIO DE VOLTA ÀS OPÇÕES

O médio Tarcísio está de volta às opções de Ivo Vieira para o encontro frente ao Vit. Guimarães B no próximo Domingo, depois de ter cumprido castigo no ultimo jogo.


domingo, 15 de janeiro de 2017

ERIVALDO É REFORÇO

O Aves anunciou este sábado a contratação de Erivaldo para o setor ofensivo. O extremo de 22 anos assinou um acordo válido até 2018 e começa a trabalhar com os novos companheiros a partir da próxima semana.



Formado no Beira-Mar e no Sp. Braga, Erivaldo chegou a representar a equipa B minhota e inclusive a principal, tendo vestido ainda as cores do Feirense na primeira metade da temporada passada. Saiu depois para Angola, onde representou o Recreativo Libolo.

"Foi uma proposta muito ambiciosa. Tinha outros clubes interessados, mas optei pelo Aves porque é um ótimo clube", disse o extremo aos veículos de comunicação do clube avense.

O técnico Ivo Vieira ganha assim mais uma opção para o ataque. O Aves é o 2.º classificado da 2.ª Liga e luta pela subida de divisão.

Ligações:

PORTO B - CD AVES, 0-0; SEGUNDA LIGA 22ª JORNADA

Quim foi a figura do encontro
O FC Porto B e o Desportivo das Aves empataram este sábado sem golos, na 22.ª jornada Segunda liga, tendo os dragões desperdiçado um penálti, no jogo que assinalou o início da segunda volta da competição.

O Aves, que até entrou melhor no encontro, não conseguiu aproveitar a apatia portista na primeira parte, e, no segundo tempo, um par de defesas de Quim segurou o empate. O FC Porto B, que esteve apagado no primeiro tempo, surgiu mais forte na segunda parte, mas não conseguiu ultrapassar o guarda-redes visitante.

O ritmo foi diminuindo com o decorrer da primeira parte e só de bola parada voltou a haver perigo. Aos 35 minutos, num canto de Nélson Pedroso, Guedes cabeceou sozinho na pequena área, mas desviado e, já perto do intervalo, num livre cobrado para área, Hackman cabeceia à figura de João Costa.

Na segunda parte, os azuis e brancos estiveram melhor, embora tenha sido o Aves que esteve perto de fazer o golo, aos 58 minutos, com Jorge Fernandes, em cima da linha, a impedir Guedes de inaugurar o marcador. Doze minutos mais tarde, o FC Porto beneficiou de uma penalidade a castigar falta de Romaric sobre Galeno. Fede Varela, chamado para a marcação, atirou rasteiro e colocado, mas Quim, com um mergulho para o lado direito, defendeu com a ponta dos dedos. Aos 76 minutos, Ismael descobriu Varela no centro da área, que, de costas para a baliza, rodou com um toque de classe tirando um defesa da jogada e, frente a Quim, atirou para uma grande defesa do guarda-redes contrário.

O Desportivo das Aves só voltou a criar perigo aos 80 minutos, num cabeceamento de Pedró ao poste, respondido prontamente pelos 'bês', dois minutos mais tarde, com Ismael, de cabeça, a não conseguir dar melhor direção ao cruzamento de Sérgio Ribeiro.

Jogo disputado no Estádio Dr.º Jorge Sampaio, em Vila Nova de Gaia
FC Porto B-Desportivo das Aves: 0-0

Equipas:
- FC Porto B: João Costa, Fernando Fonseca, Chidozie, Jorge Fernandes, Luís Mata, Govea, Fede Varela (Bruno Costa, 88), Francisco Ramos, Graça (Ismael, 62), Areias e Galeno (Sérgio Ribeiro, 79).
(Suplentes: Gudiño, Rui Pires, Ismael, Bruno Costa, Sérgio Ribeiro, Verdasca e João Cardoso).
Treinador: António Folha.
- Desportivo das Aves: Quim, Hackman, Romaric, João Pedro, Nélson Pedroso, Ericson, Pedró, Bruno Alves (Luís Alberto), Zé Tiago (Mendy, 76), Balogun e Guedes (Luis Barry, 69).
(Suplentes: Marco Pinto, Tiago Valente, Luís Alberto, Renato Reis, Luís Barry, João Amorim e Mendy).
Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Vítor Ferreira (AF Braga).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Nélson Pedroso (46) e Romaric (64).
Assistência: 1.049 espetadores.

Ligações: 
Record: FC PORTO B-AVES, 0-0: DRAGÕES TRAVADOS POR QUIM

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

FAFE 1-2 C.D.AVES; SEGUNDA LIGA 21ª JORNADA

O Desportivo das Aves venceu este domingo no terreno emprestado do Fafe, por 2-1, em jogo da 21.ª jornada da 2.ª Liga, e consolidou o segundo lugar da prova, graças aos golos apontados por Balogun e Pedró. Num jogo realizado em Amarante, os fafenses ainda reduziu aos 87', de penálti, e lutou até ao final para repor a igualdade, quase conseguindo.

A formação de Vila da Aves cedo assumiu o comando da partida, mas apesar de várias tentativas apenas conseguiu chegar ao golo perto do intervalo. Aos 32 minutos, após uma insistência no corredor esquerdo levada a cabo por Tarcísio, a bola chega a Pedroso que atrasou para Balogun. O avançado não desperdiçou a oportunidade e rematou, em posição frontal, sem hesitar para dentro da baliza do Fafe.

Depois do intervalo, o vice-líder manteve a mesma postura pressionante e mais eficaz do que o adversário e, por isso mesmo, não tardou em aumentar a vantagem. Numa altura em que estavam decorridos 67 minutos, na sequência de um cruzamento de Balogun para dentro da área, Pedró, no alto, cabeceou para a baliza, fazendo o segundo do Desportivo das Aves.

A 15 minutos do final do encontro, a tendência começou a mudar, com o Fafe a assumir uma postura muito mais ativa e dando bastante trabalho ao Aves. Aos 85 minutos, num lance perigoso junto à baliza dos visitantes, Evandro cruzou para a área e Hackman acabou por cortar a bola com a mão. Prontamente o árbitro assinalou a marca de penálti e Evandro não desperdiçou, reduzindo a desvantagem.

Os minutos que se seguiram foram aflitivos para o Desportivo das Aves, que sentiu grande dificuldade em travar as investidas do Fafe. Em cima dos 90 minutos, Jota atirou uma bola ao poste de Quim, guarda-redes dos visitantes.

Com esta vitória, o Desportivo das Aves consolidou o segundo lugar na II Liga, ficando agora com 13 pontos de vantagem sobre o Santa Clara, que ocupa o 3.º posto. Já o Fafe somou a segunda derrota consecutiva e segue nos lugares de despromoção, sendo 19.º classificado, com 22 pontos.

Jogo no Estádio Municipal de Amarante

Marcadores:
0-1, Balogun, 32'.
0-2, Pedró, 67'.
1-2, Evandro, 87' (penálti).

FAFE - Ricardo Fernandes, Vasco Cruz, Xavi (Silvestre, 74'), Lytvyn Dmytro, Jota, André, Joãozinho (Nogueira, 69'), Landinho, Leandro Borges, Allan (Pedro Pereira, 64') e Evandro.
(Suplentes: Marçal, Silvestre, Nogueira, Pedro Pereira, Marco André, Materazzi e Syzyi)
Treinador: Tonau.

DESPORTIVO DAS AVES - Quim, Hackman, Romaric, João Pedro, Nélson, Tarcísio, Pedró (Caetano, 76'), Bruno Alves (Ericson, 65'), Zé Tiago (Renato Reis, 84'), Balogun e Guedes.
(Suplentes: Rafa, Tiago Valente, Ribeiro, Rafa, Renato Reis, Luís Barry, Ericson e Caetano).
Treinador: Ivo Pereira.

Árbitro: João Matos (Viana de Castelo).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Bruno Alves (23'), Romaric (39'), Tarcísio (48'), João Pedro (55'), João Nogueira (90'+1).
Assistência: Cerca de 500 espetadores.

Ligações:

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

LUÍS ALBERTO OFICIALIZADO ATÉ 2018

O Aves confirmou esta terça-feira que Luís Alberto vai ser jogador da formação da Segunda Liga até 2018, tal como Record havia adiantado. O médio brasileiro, de 33 anos, estava no Chaves desde o início da temporada, mas pelos flavienses cumpriu apenas duas presenças na equipa de Trás-os-Montes.

Este será o quinto emblema em Portugal que Luís Alberto vai representar. Chegou a solo lusitano em 2008/09 para representar o Nacional, rumando depois ao Sp. Braga em 2011/12. Em 2015/16 foi opção regular na estreia do Tondela na Liga NOS.


Ligações:

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

OLHANENSE - AVES, 2-3; SEGUNDA LIGA 16ª JORNADA

O Aves conquistou este sábado a primeira vitória fora na 2.ª Liga, ao bater o Olhanense, por 3-2, em jogo da 16.ª jornada da prova, marcado por uma ponta final emocionante.

Em jogo com três grandes penalidades, todas convertidas, os algarvios saíram para o intervalo em vantagem, com golo de Paulo Regula, mas a partida ganhou mais emoção na segunda parte, quando os avenses deram a volta, com dois tentos de Mauro Caballero, viram Semedo empatar aos 89 minutos e festejaram o triunfo nos descontos, graças a Pedro Pereira.

O equilíbrio imperou nos momentos iniciais do jogo, com as duas equipas adormecidas, depois de Gonzalez Prado ter desperdiçado uma flagrante oportunidade para os locais, a um metro da linha de golo, logo no primeiro minuto. Uma boa jogada coletiva, concluída com remate de Rodrigo António e boa defesa de Quim, aos 24 minutos, deu o mote para o domínio dos algarvios, que chegaram à vantagem à passagem da meia hora de jogo, com Paulo Regula a converter uma grande penalidade, cometida sobre si próprio.

Na segunda parte, o Aves esteve melhor, acabando por virar o jogo com dois golos do avançado paraguaio Mauro Caballero (emprestado pelo FC Porto), igualando de grande penalidade (58') e colocando a sua equipa em vantagem com um excelente cabeceamento (77)'. A vitória da equipa forasteira parecia assegurada, mas ainda houve tempo para um período final emocionante, primeiro com o empate de Semedo, aos 89 minutos, e depois com o golo que confirmou, de vez, o triunfo avense.

Femi Balogun, que tinha sido o melhor elemento dos algarvios, cometeu uma falta infantil sobre Renato Reis na grande área e Pedro Pereira converteu a respetiva grande penalidade para o 2-3 final.

Jogo no Estádio José Arcanjo, em Olhão.
Olhanense - Aves, 2-3.
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
 1-0, Paulo Regula, 30 minutos (grande penalidade).
 1-1, Mauro Caballero, 58' (grande penalidade).
 1-2, Mauro Caballero, 77'.
 2-2, Semedo, 89'. 2-3,
 Pedro Pereira, 90'+1 (grande penalidade).

Equipas:

Olhanense: Svedkauskas, Rodrigo António, Nuno Diogo, Diakhite, Duarte Machado, Semedo, Gonzalez Prado, Celestino (Buval, 66'), Paulo Regula (Diogo Melo, 46'), Femi Balogun e Mastriani (Weldon, 78').
Suplentes: Dida Pompeu, Giraldo, Weldon, Ubay Luzardo, Jorman Aguilar, Diogo Melo e Buval.
Treinador: Jorge Paixão.

Aves: Quim, Renato Reis, Junior Pius, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Pedro Pereira, Luís Manuel, Grosso, Perdigão (Marco André, 89'), Diogo Pires (André Costa, 69') e Mauro Caballero (Platiny, 86').
Suplentes: Fábio, Júnior Pius, Andrew, Zé Valente, Marco André, André Costa e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Rui Rodrigues (Lisboa).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Junior Pius (29'), Rodrigo António (33'), Renato Reis (45'+2), Nuno Diogo (80'), Perdigão (85') e Femi Balogun (90').
Assistência: Cerca de 1.000 espectadores.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

PENAFIEL - AVES, 1 - 0 ; TAÇA DE PORTUGAL 4ª ELIMINATÓRIA



O Penafiel garantiu este domingo a passagem aos oitavos de final da Taça de Portugal, ao derrotar o Desportivo das Aves por 1-0. 

A jogar em casa, o Penafiel entrou mais forte no jogo e começou logo a criar perigo. Aos 5 minutos, Rabiola desperdiçou uma oportunidade soberana para marcar. Completamente isolado frente a Quim, faz um remate fraquíssimo de encontro ao corpo do guarda-redes do D. Aves. Aos 16 minutos, Mbala fez a bola passar junto do poste. Mas logo a seguir, após um cruzamento de Mbala, João Martins recebeu na área e, frente a frente com o guardião, não perdoou e atirou para o fundo da baliza. 

Com o 1-0, o Penafiel começou a baixar as linhas. O Desportivo das Aves demorou alguns minutos, mas começou a encontrar os caminhos para a área adversária e apareceram então os lances de perigo, com Mauro Caballero, jogador emprestado pelo FC Porto, como o mentor da reação avense. O paraguaio esteve por duas vezes perto do golo na primeira parte. Primeiro atirou ligeiramente ao lado, depois, num remate fortíssimo, obrigou Coelho a mostrar os reflexos rápidos numa grande defesa

O intervalo chegou com o 1-0 no marcador, mas certamente que o treinador Rui Quinta não estava satisfeito com a forma como o adversário estava a conseguir chegar perto da baliza de Coelho e tratou de passar isso aos jogadores. O Penafiel entrou assim mais forte na segunda parte, a pressionar o adversário muito alto, criando não só perigo junto da baliza de Quim, como impedindo o Aves de ter bola e chegar à área penafidelense. 

Na segunda parte, as poucas vezes que o Aves conseguiu chegar perto da baliza de Coelho foram de bola parada, ou então de remates de muito longe. E a situação piorou quando Rúben foi expulso, deixando a equipa reduzida a dez por uma falta que, vista da bancada, não pareceu justificar o vermelho direto que o árbitro mostrou

O Aves, se já estava todo metido no meio campo até então, ainda mais se fechou, e foi conseguindo lidar com a pressão penafidelense feita, quase sempre, com cruzamentos dos corredores para a área. Os homens do Penafiel sofreram de uma manifesta falta de pontaria, mas o relógio ia jogando a favor, também por causa das várias interrupções causadas por um jogo muito faltoso. 

O marcador manteve-se inalterado, deixando o Aves pelo caminho na Taça de Portugal, e o Penafiel com o bilhete carimbado para seguir em frente.

Fernando Valente



«Temos que dar os parabéns ao Penafiel porque conseguiu passar a eliminatória. Sabíamos que ia ser um jogo equilibrado e que, se não acontecesse nada de extraordinário, podíamos criar mais dificuldades e discutir a eliminatória. Mas aconteceu, continuamos a dar tiros nos pés. O primeiro golo foi quase preparado por nós para o Penafiel finalizar». 

«Ainda conseguimos criar uma ou duas oportunidades na primeira parte. Na segunda não estava a ver grandes hipóteses, mas, quando estávamos a entrar no jogo, sofremos a expulsão. Parece-me que houve um excesso de rigor por parte do árbitro nesse lance». 

«A equipa mostrou carácter, lutou até ao fim, mas as armas não surtiram efeito». 

«Nós vamos continuar na nossa luta porque temos mais do que o que apresentamos hoje. Já percebemos que este ano precisamos de homens de barba rija. Tenho muita dificuldade em lidar com personalidades fracas, mas isso é uma coisa que tenho que lidar com a equipa e com o clube».